Homens (trans): da invisibilidade às transmasculinidades na educação

Giseli Cristina dos Passos, Lindamir Salete Casagrande

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo pensar os corpos transexuais, mais propriamente os corpos dos homens (trans), quando surgem no campo histórico cientíifico e qual o lugar destes na sociedade como exercício de reflexão sobre ciência, tecnologia e sociedade (CTS). Utilizando-se de uma ontologia histórica de trabalho de retirada das camadas sedimentares que formaram os discursos atuais sobre o tema, processo de arqueologia do saber proposta por Michel Foucault (2008) onde sistemas de pensamento e conhecimento são governados por normas e estruturas que constituem os saberes e sujeitos refletimos sobre os corpos transmasculinos no Processo Transexualizador brasileiro, bem como, a presença destes nos movimentos por direitos tanto na sociedade em geral, como no meio educacional. Neste contexto, indagamos sobre a visibilidade e o acesso limitado e/ou negado aos homens (trans) ao trabalho enquanto docentes, bem como quais as possibilidades de aprofundamento de pesquisa nesse tema como forma de luta.


Palavras-chave


transmasculinidades; educação; trabalho

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 CC-BY-NC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.
ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr