DINÂMICA DA RADIAÇÃO SOLAR EM FUNÇÃO DO ARRANJO ESPACIAL E PERÍODOS DE CULTIVO DE HÍBRIDOS DE MILHO

Daniele Cristina Parthey, Érick Vinícius Pellizzari, Frederico Márcio Corrêa Vieira, Diego Kwiecinski

Resumo


O presente trabalho teve por objetivo avaliar o comportamento de híbridos de milho na interceptação de radiação solar em função do arranjo espacial e períodos do ciclo fenológico. O experimento foi conduzido na Estação Experimental da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Câmpus Dois Vizinhos. A semeadura dos híbridos de milho, P30F53 e P1630, foi realizada em setembro de 2016. O delineamento experimental consistiu de trifatorial 2x3x4. O primeiro fator foram os híbridos de milho, o segundo foram os arranjos espaciais: linhas simples de 0,6 m, linhas duplas de 0,6x0,3 m e linhas simples de 0,45m. Já o terceiro fator considerado foi o ciclo fenológico da cultura, subdividido em 4 períodos. Foram realizadas avaliações microclimáticas semanalmente após a emergência da cultura, utilizou-se os sensores SP 212 (Apogee) e S-LIA-M003 (Onset) para quantificação da Irradiância Solar Global (Qg) e Radiação Fotossinteticamente Ativa (RFA), respectivamente. O arranjo espacial de plantas não foi capaz de alterar a interceptação de radiação em nenhuma das configurações de tratamentos. Nas fases iniciais de desenvolvimento nenhum híbrido de milho avaliado foi capaz de interceptar a radiação solar de maneira estatisticamente significativa. Somente o híbrido P30F53 apresentou aumento na eficiência de interceptação, tanto de Qg como RFA, após início do período reprodutivo. Existe relação direta entre Qg e RFA, visto que se comportaram de maneira semelhante entre todos os tratamentos.


Texto completo:

PDF


CCT - UTFPR - DV