AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIOXIDANTE E COMPOSTOS FENÓLICOS EM AMOSTRAS DE CHÁS

Deborah Keslyane O. Alves, Milene Oliveira P. Bicudo

Resumo


O chá, uma das bebidas mais consumidas e antigas no mundo, é fonte significativa de compostos fenólicos e importante componente das dietas devido às suas propriedades antioxidantes. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o teor de compostos fenólicos totais e a atividade antioxidante de chás adquiridos no comércio local de Dois Vizinhos. Os chás avaliados foram: malva (Malva sylvestris L.); funcho (Foeniculum vulgare M.); e chá verde (Camellia sinensis L.) a granel; chá verde (Camellia sinensis L.) e chá preto (Camellia sinensis L.) em sachê também foram avaliados. Foram analisados os compostos fenólicos pelo método espectrofotométrico de Folin-Ciocalteau, bem como as propriedades antioxidantes das bebidas pelo método DPPH (radicais 2,2-difenil-1-picrilhidrazil). O chá de malva apresentou teor de compostos fenólicos (70,85 ± 1,0 µg GAE/ml) significativamente inferior aos outros chás analisados, enquanto que o chá verde em sachê apresentou o maior teor em fenólicos (113,24 ± 15,8 µg EAG ml-1). A atividade antioxidante dos chás variou de 0,34 ± 0,04 a 4,15 ± 0,16 µmol de Trolox ml-1. O chá verde em sachê foi o que apresentou maior atividade antioxidante, enquanto que o chá de malva apresentou a menor atividade antioxidante. Os resultados mostraram que o chá verde em sachê apresenta 89% a mais de atividade antioxidante que o chá verde a granel; e que o teor de compostos fenólicos pode ser relacionado com a atividade antioxidante dos chás.

Texto completo:

PDF


CCT - UTFPR - DV