USO DE AZOSPIRILLUM BRASILENSE E DOSES DE NITROGÊNIO AVALIANDO EFEITO NA PRODUÇÃO DE MATÉRIA SECA DE MILHO.

Junimar Alex Dal Chiavon, Laércio Ricardo Sartor, João Assis Farias Filho, Vitor Alfredo Artuso, Barbara Elis Santos Ruthes

Resumo


Na região sudoeste uma das atividades mais vistas nas propriedades é a pecuária leiteira, onde os mesmos utilizam silagem de milho como forma de alimento armazenado. O nitrogênio é um dos nutrientes que proporciona os efeitos mais relevantes de produção, sendo também um dos insumos mais onerosos da cultura. Dessa forma o inoculante Azospirillum é uma alternativa para reduzir custos de produção e maximizar a produção. Sendo assim, o objetivo do trabalho é avaliar a produção de matéria seca do milho para silagem em resposta a inoculação com Azospirillum brasilense, sob doses de nitrogênio em cobertura. O experimento foi conduzido em delineamento blocos ao acaso com três repetições, em esquema fatorial com parcelas subdivididas. A parcela principal esta alocada ao uso ou não uso do inoculante Azospirillum brasilense e na subparcela as doses de nitrogênio 0, 100, 200, 300 kg/ha-1. Os resultados obtidos mostra que não houve diferença estatística ao uso e não uso do inoculante, apresentando diferença apenas nas diferentes doses de nitrogênio.

Texto completo:

PDF


CCT - UTFPR - DV