POTENCIAL DO FOSFITO DE COBRE NO CONTROLE DE Fusarium graminearum EM CONDIÇÕES in vitro

Juliana Julio, Regis Callegaro Borin, Caliandra Bernardi, Thayllane Campos, Sergio Miguel Mazaro, Jean Carlos Possenti, Maristela dos Santos Rey

Resumo


Nos últimos anos a incidência de doenças na cultura do milho (Zea mays L.) vem se intensificado. O presente estudo teve por objetivo avaliar o potencial do fosfito de cobre sobre o fungo Fusarium graminearum em condições in vitro em diferentes doses. O experimento foi realizado no laboratório de Fitossanidade da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Dois Vizinhos-Paraná. O fosfito foi adicionado ao meio BDA (Batata-dextrose-ágar), nas doses de 0,2;0,4;0,6;0,8 e 1mL-1, assim como um tratamento controle, onde continha agua esterilizada, foram vertidos para placas de Petri, onde após foi adicionado ao centro de cada placa um disco de 1 cm de diâmetro do patógeno no centro. As placas foram armazenadas em câmara de germinação do tipo BOD durante sete dias em condições controladas de 23ºC ± 1ºC e fotoperíodo de 12 horas. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com 4 repetições, sendo a unidade experimental formada por uma placa de Petri. As avaliações iniciaram 48 horas após a montagem do experimento e seguiu ate o fechamento total da placa. As médias foram analisadas pelo teste de Tukey á nível de 5% de probabilidade de erro. O fosfito de cobre apresenta controle do patógeno, porem não inibe o desenvolvimento de Fusarium graminearum em condições in vitro.


Texto completo:

PDF


CCT - UTFPR - DV