CONCENTRAÇÕA E FORMA DE APLICAÇÃO DO ÁCIDO INDOLBUTÍRICO NA PROPAGAÇÃO PITANGUEIRA POR ALPORQUIA

Rayanah Stival Svidzinski, Alberto Ricardo Stefeni, Camila Kreczkiuski, Cristian Medrado Canonico, Bruno Leite dos Santos, Américo Wagner Junior

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a técnica de alporquia em pitangueira testando-se diferentes concentrações de ácido indolbutírico (AIB) e forma de aplica-lo. O trabalho foi realizado na UTFPR – DV, em janeiro de 2017. O delineamento experimental adotado foi inteiramente casualizado (DIC), em esquema fatorial de 2 x 4 (forma de aplicação de AIB x concentração de AIB), com quatro repetições de 5 alporques cada. As formas de aplicação consistiram com uso líquido em gotas ou por meio do contato permanente através do algodão embebido em tal auxina. As concentrações testadas foram 0, 1000, 3000 e 6000 mgL -1 de AIB. Após 210 dias, foi avaliada as porcentagens de enraizamento, regeneração da área anelada, calogênese e sobrevivência do ramo alporcado. Não foi possível obter rizogênese nos ramos alporcados de pitangueira.


Texto completo:

PDF


CCT - UTFPR - DV