ENRAIZAMENTO DE ESTACAS DE Hibiscus rosa-sinensis L. UTILIZANDO DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE ÁCIDO INDOLBUTÍRICO EM TALCO E EM SOLUÇÃO

Carla Marins Santos Santana Viana, Michel Anderson Masiero, Daniela Macedo de Lima

Resumo


Hibiscus rosa-sinensis L. (Malvaceae) é uma espécie de arbusto fibroso e lenhoso de grande importância com função paisagística, sendo utilizada tanto na arborização urbana, quanto para fins medicinais. Este trabalho teve por objetivo avaliar a influência de diferentes doses de ácido indolbutírico (AIB) no enraizamento de estacas do hibisco, tratadas em talco e solução. O experimento foi realizado na Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Câmpus Dois Vizinhos (UTFPR-DV). Ramos semilenhosos foram coletados em planta-matriz existente no próprio Câmpus dos quais foram preparadas estacas de 8 cm. As estacas foram tratadas com concentrações 0, 1500 e 3000 mg.kg-1 AIB, em talco e em solução com 0, 1500 e 3000 mg.L-1, por 10 segundos. Em seguida foram plantadas em tubetes de 120cm3, contendo o substrato vermiculita de granulometria fina. O delineamento foi inteiramente casualizado em arranjo fatorial 3x2 (três concentrações de AIB x dois modos de aplicação), quatro repetições e 10 estacas por repetição. Aos 74 dias foram avaliadas as porcentagens de enraizamento, número de raízes e comprimento médio das raízes. Verificou-se que não houve diferença significativa entre os resultados após o teste de Tukey a 5 % de probabilidade, onde ambos tratamentos obtiveram resultado favorável, com médias de enraizamento de (76,25 a 92,50%). Assim conclui-se que a aplicação de AIB em talco e solução, não influenciou no enraizamento das estacas de hibisco.


Texto completo:

PDF


CCT - UTFPR - DV