DIFERENTES CONCENTRAÇÕES E O EFEITO DO EXTRATO DE Artemisia annua EM Plutella xylostela

Maikely Luana Feliceti, Helter Carlos Pereira, Zenilda Carneiro, Josiane Otalakoski, Gilberto Santos Andrade

Resumo


A Plutella xylostella L. 1758 (Lepidoptera: Plutellidae), conhecida popularmente como traça-das-crucíferas é considerada uma espécie que causa enormes danos aos cultivos da couve, repolho e outras Brassicas. Diante disto, avaliou-se o efeito de diferentes doses de extrato de Artemisia annua L. (Asteraceae) sobre a Plutella xylostella L. 1758 (Lepidoptera: Plutellidae) conhecida popularmente como traça-das-crucíferas, considerada a principal praga da couve (Oleracea var. acephala L.: Brassicaceae) e também de outras Brássicas. Discos foliares de couve foram imersos por 30s em diferentes doses do extrato vegetal, em seguida foram colocados em placas de petri, onde cada placa recebeu 5 larvas de P. xylostella de primeiro instar. As placas foram vedadas e mantidas em B.O.D em uma temperatura de 25° C. A primeira avaliação ocorreu após 72h, seguindo o experimento com avaliações de 24h em 24h.  A dose do extrato 0.20g foi à concentração que obteve a morte de todos on indivíduos no final da avaliação, diferindo da dose 0.10g em que conteve um índice de insetos vivos bem maiores. No entanto esses valores comparados com a testemunha não foram significativos. A percentagem de indivíduos vivos em cada avaliação foi extremamente semelhante, o que mostra que as doses de extratos nas concentrações utilizadas não foram significativas.  Evidenciando que tais concentrações das doses utilizadas do extrato de Artemisia annua, não obtiveram resultados eficazes contra Plutella xylostella

Palavras-chave: Praga, Brassicas, Traça-das-crucíferas  


Texto completo:

PDF


CCT - UTFPR - DV